quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Pesquisadores desenvolvem processo que aumenta a produtividade na produção de etanol celulósico

Inovação UNICAMP

Pesquisadores da Unicamp otimizaram as condições operacionais de pré-tratamento e das fases de hidrólise aplicadas ao bagaço de cana-de-açúcar a fim de desenvolver um processo combinado capaz de aumentar a produtividade atual na produção de etanol celulósico. Mais especificamente, a tecnologia se refere a uma fase de pré-tratamento que obtém biomassa com rendimentos elevados de glicose sem qualquer necessidade de peneirar o bagaço, de utilizar reagentes agressivos ao meio ambiente ou usar condições críticas com altos custos. Este processo é seguido por uma fase de hidrólise que usa uma baixa carga enzimática para obter a mistura de açúcares a partir do qual (após a fermentação convencional) o etanol celulósico é produzido.

Principais Vantagens

- Altos rendimentos de glicose. Mais de 80% de rendimento de glicose é obtido em comparação com 0,9% de rendimento quando a biomassa não é tratada.
- Consumo de energia inferior. Processo de pré-tratamento é realizado à temperatura e pressão atmosféricas.
- Tecnologia verde. Os reagentes utilizados não produzem resíduos tóxicos.
- Baixa carga enzimática. Devido à alta produtividade obtida durante o pré-tratamento, a quantidade enzimática usada para a hidrólise foi diminuída.
- Redução global dos custos de produção. Ciclos extras como a triagem do bagaço, o tratamento de resíduos tóxicos, e a remoção de inibidores, bem como a utilização de reagentes de baixo custo e o baixo consumo de energia, são fatores que trazem simplicidade e economia para o processo.
- Complementar ao processo atual. Esta tecnologia visa complementar a geração de energia, e a produção de açúcar e etanol utilizados pela indústria com a mesma área plantada.
- Ampla gama de aplicações. Outros tipos de biomassa, além da biomassa da cana, podem ser utilizados neste processo.

Fonte: -http://www.inova.unicamp.br-

Nenhum comentário:

Postar um comentário