sábado, 26 de junho de 2010

LimeWire é processado por mais oito empresas norte-americanas


As companhias desejam uma reparação por supostas violações de direitos autorais, e pedem indenização de até 150 mil dólares por infração.

Oito empresas da indústria de música apresentaram, essa semana, um novo processo contra o LimeWire por violação de direito autoral, em uma Corte do Distrito Sul de Nova York.
As empresas são membros da National Music Publishers Association (NMPA) e entre elas estão: EMI Music Publishing, Sony / ATV Music Publishing, Universal Music Publishing Group e Warner/ Chappell Music.
O CEO da LimeWire, Mark Gorton e o ex-CTO, Greg Bildson, também estão citados na ação.
As empresas desejam uma reparação equivalente à violação dos direitos autorais. O estatuto da Copyright prevê uma indenização de até 150 mil dólares por violação.
O novo processo foi divulgado no mesmo momento em que um tribunal federal em Nova York já está considerando um pedido da Associação da Indústria de Gravação da América, a RIAA, para fechar a fabricante de software.
 
Há algumas semanas, o juiz federal Kimba Wood, do Tribunal do Distrito Sul de Nova York, definiu o LimeWire, e o CEO da empresa, como culpados, em uma outra ação, apresentada por outras 11 empresas da indústria musical, sob os mesmos termos de acusação, 
Em um acordo de 58 páginas, o juiz Wood confirmou praticamente todos os argumentos apresentados pelas companhias, e determinou que o LimeWire não conseguiu implementar, de forma "significativa", métodos para o compartilhamento legal de música.
A empresa de compartilhamento disse que ainda está tentando um acordo com as gravadoras. 
"Tivemos muitos encontros promissores com todos setores da música sobre o nosso novo serviço de música e um modelo de negócio que irá compensar toda a indústria", informou o LimeWire via comunicado.
Fonte: http://idgnow.uol.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário