domingo, 2 de maio de 2010

Mesmo 16 anos após a morte de Ayrton, marca Senna rende R$ 200 mi anuais

Mesmo 16 anos após o acidente fatal na curva Tamburello, em Ímola, no dia 1º de maio de 1994, Ayrton Senna ainda é uma referência não só para os brasileiros, mas para pessoas do mundo inteiro. Além de ser lembrado pelas façanhas na pista e por sua personalidade, o tricampeão mundial de F-1 também é um fenômeno mercadológico.

De acordo com uma pesquisa do Núcleo de Estudos de Negócios do Esporte da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), a marca Ayrton Senna – que inclui também o personagem Senninha – fatura anualmente cerca de R$ 200 milhões com a venda dos mais diversos produtos, desde alimentos até réplicas dos capacetes usados pelo piloto durante sua carreira.
Segundo o Instituto Ayrton Senna, que detém os direitos da marca, o dinheiro arrecadado com os produtos do ídolo é completamente revertido para os projetos sociais da entidade idealizada pelo próprio piloto, e que hoje é comandada por sua irmã, Viviane Senna.
“100% dos royalties obtidos com os produtos da marca são revertidos para os programas de educação do Instituto. Essa renda é muito importante para nós. É uma das principais da entidade. Temos as parcerias com empresas, mas o licenciamento é bem importante”, disse o gerente de Desenvolvimento e Negócios do Instituto Ayrton Senna, Mauro Ratto, ao UOL Esporte.
Os produtos são comercializados principalmente pela internet, através da Senna Store. Somadas as licenças da marca Ayrton Senna e Senninha, que é mais voltado para a linha infantil, são mais de 600 itens disponíveis para o público, incluindo material escolar, alimentos, chaveiros, bonés, camisetas, réplicas de capacetes, miniaturas de carros, estátuas, etc.
“O curioso não é a quantidade, mas a abrangência dos produtos. Tem produtos para todos os gostos e bolsos. É uma coisa que passa por uma amplitude interessante no aspecto demográfico, que mostra que eles entenderam que o esporte tem um apelo muito bom em todas as classes sociais”, ressaltou o professor Robert Alvarez, do Núcleo de Esportes da ESPM.
Naturalmente, o principal mercado desses produtos é o Brasil, mas a marca também atinge com força o mercado europeu e, principalmente, o Japão. Até mesmo nos Estados Unidos e na Austrália, onde a F-1 é pouco popular, a marca Ayrton Senna tem boa representação.
“Chama a atenção uma figura que infelizmente já se apagou faz tanto tempo, e mesmo assim está muito viva e forte. Senna é um ponto fora da curva que precisa ser estudado. Por isso gera interesse como objeto de estudo”, explicou Alvarez ao UOL Esporte.
De acordo com o professor, a pesquisa realizada diretamente com as inúmeras empresas que têm a licença para explorar a marca visa justamente entender a força dos grandes ídolos do esporte no mercado. “A intenção é conhecer a força que as marcas esportivas podem ter e a associação da importância do ídolo com o público do esporte. Os valores que ele [Senna] traz, vindo de um país carente, um cara que vence, com histórias positivas de sucesso, é um apelo inegável”, finalizou.
Fonte: http://esporte.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário