quinta-feira, 6 de maio de 2010

China persiste na proteção da propriedade intelectual


Dia 26 de abril, comemorou-se o 10º Dia Mundial da Propriedade Intelectual, que em 2010 carrega o tema "Inovação - ligando o mundo". O Escritório Estatal de Propriedade Intelectual da China afirmou em Beijing que, com os esforços feitos nos últimos 30 anos, foi estabelecida uma estrutura jurídica de proteção da propriedade intelectual e que o ambiente de proteção da área vem sendo aperfeiçoado. A intenção do escritório é salvaguardar ainda mais a propriedade intelectual para incentivar a inovação nas empresas. Ouça a reportagem.
Em outubro de 2000, a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) instituiu 26 de abril como o Dia Mundial da Propriedade Intelectual a partir do ano seguinte. A ideia era promover uma consciência mundial de respeito ao conhecimento e à ciência e de proteção à propriedade intelectual, bem como criar um ambiente jurídico que incentivasse a inovação e a propriedade intelectual.
Até agora, a China já estabeleceu 15 bases nacionais de industrialização de ideias e outros 42 centros nacionais de exibição das mesmas, além de 75 estações de intercâmbios de trabalhos relativos que prestam serviços oportunos e eficientes a empresas. No ano passado, apesar da crise financeira, o número de pedidos de patente atendidos pelas autoridades responsáveis se aproximou de 980 mil, um aumento de 18% em relação ao ano anterior.
O diretor do Escritório Estatal de Propriedade Intelectual da China, Tian Lipu, apontou que nos últimos anos o governo chinês vem reforçando os trabalhos na área em aspectos como legislação, administração, divulgação e formação de profissionais. Neste ano, a China vai adotar novas medidas para tornar o ambiente de proteção da propriedade intelectual ainda melhor.
"Neste ano, conforme a estratégia do país na área de propriedade intelectual, as autoridades responsáveis vão aumentar os incentivos financeiros, reforçar a punição a crimes relativos, ampliar intercâmbios e cooperações com o exterior, participar da elaboração das normas internacionais e orientar as empresas do país a participar das competições e cooperações internacionais sobre propriedade intelectual."
A Expo Shanghai 2010, um palco que vai concentrar sabedorias de todo o mundo, requer exigências rigorosas à proteção da propriedade intelectual. Os artigos exibidos, os pavilhões e o design dos estandes são resultados de processos inovadores de sucesso. Por isso, é preciso estar atento quanto à proteger a propriedade intelectual desses autores. O diretor do Escritório de Propriedade Intelectual de Shanghai, Lü Guoqiang, afirmou:
"No parque da Expo, criamos um centro de serviços sobre propriedade intelectual para eventuais consultas. Ainda oferecemos um canal telefônico para atender a reclamações que serão tratadas oportunamente por um departamento exclusivo."
A cada ano, antes ou depois do Dia Mundial da Propriedade Intelectual, a China realiza diversas atividades para divulgar o tema. Dias atrás em Beijing, capital chinesa, foi criada a primeira equipe de voluntários da cidade que tem como objetivo proteger a propriedade intelectual. Cercas de 200 membros de idades que variam entre 18 e 60 anos vão promover nos bairros residenciais atividades como palestras, exposições e concurso de discursos para conscientizar a população sobre a necessidade de proteger a propriedade intelectual.
(por Shi Liang)
Fonte: http://portuguese.cri.cn/561/2010/04/26/1s121476.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário