segunda-feira, 5 de abril de 2010

Conar mantém suspensão à Devassa

A 6ª Câmara do Conselho de Ética do Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar), de forma unânime, manteve na terça-feira 30, a suspensão à campanha da Devassa Bem Loura, produto do Grupo Schincariol lançado em fevereiro. A campanha havia sido retirada do ar de forma liminar logo após o carnaval. Entre todas as peças, apenas os spots de rádio poderão ser veiculados na forma original.

A decisão atingiu três dos quatro processos julgados contra a campanha - os de número 037/10, 038/10, 03910 e 040/10. Dois deles foram instaurados "de ofício" pelo próprio órgão - isso acontece quando o Conselho recebe denúncias de consumidores ou quando o próprio órgão acredita que a propaganda feriu alguma de suas regras. 

Um terceiro foi solicitado pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, órgão que tem status de ministério no governo federal e já recorreu ao Conar em ocasiões anteriores. O denunciante do quarto processo foi a cervejaria Petrópolis.

Ainda cabe recuso para a Schin e a Mood, agência responsável pela campanha, que deve ser julgado no Plenário do órgão, no dia 15 de abril. A decisão ainda não foi enviada às partes, o que deve acontecer até o final desta semana.

O presidente do Conar, Conselheiro Gilberto Leifert, declarou, no site do Conselho, ser contra as críticas que vêm sendo feitas ao Conar. "As críticas feitas ao Conar em razão da liminar e a comparação com censura são injustas e impróprias e revelam desconhecimento do compromisso de respeitar a autorregulamentação, que vincula anunciantes, agências de publicidade e veículos de comunicação", afirmou.

O Grupo Schincariol, por sua vez, enviou uma nota sobre a decisão:
"O Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) julgou nesta terça-feira, 30 de março, a representação contra a campanha publicitária da cerveja Devassa Bem Loura. A suspensão do filme foi mantida. 

O Grupo Schincariol aguardará a publicação oficial da decisão para, conhecendo todos os parâmetros e detalhes da medida, avaliar se tomará alguma providência em relação ao assunto. A empresa entende que o filme estrelado pela modelo Paris Hilton não ofende, em nenhum aspecto, a qualquer norma ou orientação emitida pelo Conar, mas acata a decisão ao manter o filme fora de veiculação."

Nenhum comentário:

Postar um comentário