quarta-feira, 31 de março de 2010

CAJUÍNA DO PIAUÍ RECEBE INDICAÇÃO GEOGRÁFICA ATÉ JUNHO DESTE ANO


Até junho deste ano, a cajuína produzida no Piauí deve
ganhar a indicação geográfica (IG). A certificação será um
reconhecimento às características peculiares da bebida que a
diferencia das produzidas em outros Estados do país. A
qualidade, o aroma, a coloração e a elevada pureza, além do
método artesanal de produção garantiram a IG a esse suco
de caju clarificado, típico do Piauí.
"Levando em consideração a distinção das características da
cajuína do Piauí, o Sebrae no Estado, com o apoio do
Sebrae Nacional, desenvolveu um projeto de indicação
geográfica para essa bebida. A intenção é proteger,
promover e agregar valor a esse produto tipicamente
piauiense", explica o gerente da Unidade de Atendimento
Coletivo Agronegócios do Sebrae no Piauí, Francisco
Holanda.
A IG vai beneficiar os produtores e as agroindústrias do
setor, além de comprovar o vínculo entre a qualidade da
cajuína e o território onde ela é produzida, criando uma
identidade para essa bebida, que passará a ser mais
valorizada tanto a nível nacional, como internacional. Outra
vantagem é que a IG beneficiará toda uma região, no caso
o Estado do Piauí, não se restringindo apenas a uma
propriedade ou produtor de cajuína.
"Estou bem impressionado com o potencial da cajuína
produzida no Piauí. O envolvimento e a adesão dos
produtores a esse projeto da IG têm feito toda a diferença
nesse processo de certificação. Com a vontade
empreendedora e com os fortes parceiros da iniciativa,
aliados à qualidade da cajuína, não tem como o projeto dar
errado", comenta o consultor de Projetos de indicação
geográfica do Sebrae Nacional, Fernando Schwanke.
Schwanke esteve no Piauí este mês avaliando os projetos
de IG existentes no Estado. Além da cajuína, outro produto
do Piauí deve ganhar a certificação: a opala produzida em
Pedro II.
Fonte: www.agrosoft.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário