sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Tablet da Apple deve ser lançado em janeiro

Sempre que se aproxima a data de um lançamento da Apple, o burburinho no mercado de tecnologia se transforma em furor. As especulações tomam conta dos principais canais de informações do segmento. Quando Steve Jobs, executivo mais importante da empresa, dá a entender que o próximo produto terá impacto semelhante ao do iPhone, a ansiedade de investidores, concorrentes, jornalistas e aficionados pela marca chega ao ápice. No fim do próximo mês, segundo informações de agências de notícias especializadas, a Apple deve colocar no mercado seu tablet, computador portátil com recurso touchscreen e acesso à internet.
O dispositivo portátil deve ser lançado com uma tela de sete polegadas, que possibilita ao usuário a interação total com o recurso
touchscreen. Enquanto navega na rede mundial de computadores ou escreve um texto, o internauta pode utilizar a tela como teclado e mouse. Quando a intenção for a manipulação de imagens, por exemplo, será possível usar a mesma dinâmica do iPhone ou do iPod Touch. Em entrevista ao jornal The New York Times esta semana, um funcionário de alto escalão da marca revelou que Steve Jobs estava Cextremamente feliz com os resultados do tablet e que a interação com o produto é surpreendente.
Enquanto todos tentam descobrir mais novidades sobre o tablet da Apple, as ações da empresa registram alta em Wall Street. Depois que o jornal Financial Times afirmou, no início da semana passada, que o produto seria lançado em 26 de janeiro de 2010, a reação foi imediata. Os papéis da empresa foram valorizados em 3,44%, chegaram a US$ 209,06 e bateram o recorde do ano passado de US$ 208,71. Aliás, a inquietação dos investidores começou ainda em julho desse ano, quando a Apple registrou a patente de um tablet.
Por meio dos desenhos enviados para requerer a patente, sites especializados chegaram a publicar imagens do que viria a ser o computador portátil. Apesar disso, a Apple não se pronuncia sobre produtos que estão em desenvolvimento e os funcionários negam veementemente a existência do tablet, que deve chegar ao mercado por US$ 600, preço de um bom netbook. A tensão da equipe de desenvolvedores de novas ferramentas da marca, porém, é um indicativo forte de que novidades serão levadas a público em breve. A presença do executivo (conhecido por seu temperamento forte) atormenta a equipe, acostumada com a liberdade gerada pela licença tirada por Jobs, publica o The Wall Street Journal, sobre o projeto do tablet coordenado por Jobs. (IS) 

 - ()

Nenhum comentário:

Postar um comentário