quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Maranhense reaproveita cascas de coco verde na agricultura


Empresário criou máquina para triturar as sobras da fruta. Nove anos após pedido, ele conquistou a patente da invenção 

Pensando em uma forma de reaproveitar as cascas dos cocos verdes, o empresário Marcelino Lopes, de 57 anos, criou uma máquina capaz de triturar os restos da fruta no Maranhão. O produto final pode ser utilizado na agricultura, como adubo, e na indústria da construção civil, como cimento.

“A fibra do coco também pode ser utilizada para finalidades mais nobres, como artesanato. Mas o importante é conseguir utilizar a máquina para criar emprego e renda para as famílias”, afirmou Lopes ao G1.
A criação de Lopes precisou de quatro anos para ficar pronta. A invenção foi patenteada pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que tem representação local na Secretaria de Estado da Indústria e Comércio (Sinc) do estado. De acordo com a Sinc, ele deu entrada no pedido da patente em 2000. “A criação desta máquina levou quatro anos. Fiz vários testes até chegar ao ponto que eu considerei ideal”, disse.
O empresário afirmou ter criado a máquina para colaborar com o meio ambiente. “Não possuo formação superior, acho que aprendi com o meu pai a ter amor pelo trabalho”, afirmou Lopes, que já vendeu outras seis máquinas para produtores de coco do Maranhão.
Segundo a Sinc, as cascas do coco verde correspondem a mais da metade do peso bruto da fruta e são geralmente depositadas em aterros e lixões, provocando problemas aos serviços municipais de coleta de lixo.
Mídia Eletrônica: G1 -g1.globo.com-

Nenhum comentário:

Postar um comentário